sexta-feira, 16 de outubro de 2009

AQUÊMENES (c. 705 -605 a.C.?)

Aquêmenes
Aquêmenes foi o ancestral epônimo da casa real do primeiro império persa, os Aquemênidas. o nome Aquêmenes vem do persa antigo Haxāmanish "amistoso por natureza", "aquele que tem a mente amiga”. O nome foi helenizado (Αχαιμενης) e latinizado (Achaemenēs)de onde passou às línguas modernas. As Inscrições de Behistun feitas sob Dario I (522 – 486 a.C.) testificam o seguinte na coluna 1 passos 1 a 3:

“Eu, Dario, o grande rei, o rei dos reis, o rei da Pérsia, o rei dos países, o filho de Histaspes, o neto de Arsames, o Aquemênida.
Diz o rei Dario: Meu pai é Histaspes; o pai de Histaspes é Arsames; o pai de Arsames é Ariaramnes; o pai de Ariaramnes é Teispes; o pai de Teispes é Aquêmenes.
Diz o rei Dario: Portanto nós somos chamados de Aquemênidas, desde há muito tempo temos nos extendido; desde há muito tempo nossa família tem sido de reis.”

Abaixo, as Inscrições de Behistun, principal fonte sobre a existência de Aquemenes.

O historiador grego Heródoto de Halicarnasso(484 – 425 a.C.) em sua História (3.75.1; 7.11.2) também assinala que Aquêmenes é o que encabeça a genealogia dos reis da Pérsia. O historiador sírio Nicolau de Damasco (século I a.C.) chama-o herói de quem os Aquemênidas descendem. Certamente, Aquêmenes não governou todo o Irã, mas só um pequeno território no noroeste do país, próximo ao lago Urmia, região que as inscrições da Assíria chamam de Parsumash "Terra dos Parsu”, isto é, Terra dos Persas. Devido à falta de fontes históricas mais precisas sobre Aquêmenes, se duvida de seu reinado e da sua existência. Pode ser um personagem lendário. Possa ser que Dario o tenha inventado para legitimar a sua ascensão ao trono persa. Como Dario não era descendente direto do grande rei persa Ciro II e tomou o trono assassinando o impostor Bardiya (conhecido como o falso Smerdis), alguns estudiosos supõem que Dario inventou um ancestral mais antigo comum a Ciro e a ele mesmo. Deste modo podia reclamar a sua pertença à dinastia real. Mas existe uma inscrição de Ciro II que ele se refere a si mesmo como um aquemênida, embora suas inscrições sobre sua linhagem sempre evidenciem a Teispes no topo da genealogia. Portanto, pode se considerar a existência de Aquêmenes como provável. Abaixo torre de Pasárgada que faz referência a Ciro, o Grande, como aquemênida.


Abaixo, o texto da torre acima:


Reza o texto: Adam \ kuruš \ xšâyathiya \ haxâmanišiya, isto é, "Eu, Ciro, o rei, um aquemênida."

Em todo caso, os reis que sucederam a Dario honraram a Aquêmenes e criam-no como fundador da dinastia. No entanto, muito pouco se recordava a respeito de sua vida e ações. Contando com que existisse, Aquêmenes foi um chefe guerreiro (mas as Inscrições de Behistun chamam-no de rei) que guiou os persas, ou a uma tribo de persas, como vassalo do Império Medo. Uma inscrição Assíria da época do rei Senaqueribe menciona que o rei assírio rechaçou um ataque dos Parsu na Batalha de Halule (c.691 a.C.) que muitos pensam que tenha sido dirigido por Aquêmenes.
Os escritores da Grécia antiga dão algumas informações lendárias sobre Aquêmenes: chamam a sua tribo os pasargadas (Heródoto, História, 1.125.3) e dizem que foi criado por uma águia (Cláudio Eliano em sua De Natura Animalium 12.21). Platão (c. 428 – 328 a.C.), quando escrevia sobre os persas, identificava Aquêmenes com Perses, antepassado dos persas na mitologia grega. De acordo com Platão (Alcebíades,120e), Aquêmenes / Perses era filho da rainha etíope Andrômeda e do herói grego Perseu e neto de Zeus. Outra versão faze-o filho de Egeu. Escritores posteriores acreditavam que Aquêmenes e Perses eram pessoas diferentes e que Perses era um antepassado do rei.
A antiga versão grega da história persa, afirma que Aquêmenes foi sucedido por seu filho Teispes, que havia de levar aos persas a conquistar e ocupar a cidade de Anshan. O seu bisneto foi Ciro II, que venceu os medos e fundou o Império Persa. No entanto, nunca nos textos de Ciro se faz menção de Teispes como filho de Aquêmenes, mas apenas como um aquemênida. Assim, o nome poderia ter identificado apenas à família e não necessariamente a uma pessoa. Lendário ou histórico, Aquêmenes nomeou uma das mais poderosas dinastias da antiguidade. Foi sucedido na liderança dos persas por Teispes, seu filho.

FONTES:
http://mcadams.posc.mu.edu/txt/ah/Persia/Behistun_txt.html
http://www.iranica.com/newsite/index.isc?Article=http://www.iranica.com/newsite/articles/unicode/v1f4/v1f4a109.html
http://www.iranica.com/newsite/index.isc?Article=http://www.iranica.com/newsite/articles/unicode/v1f4/v1f4a108.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Achaemenes
http://gl.wikipedia.org/wiki/Aquemenes_(rei)
http://www.livius.org/a/iran/pasargadae/pasargadae3.html#inscription
http://www.yorku.ca/kdenning/+2140%202005-6/2140-21Feb2006.htm
http://persianempire.info/Achaemens.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário